Como escolher a proteína em pó certa para mim?

Além da grande variedade de marcas e sabores, a proteína em pó pode ser encontrada nas versões isolada e concentrada, as quais ainda estão disponíveis nas opções hidrolisadas e não hidrolisadas. Com tantas opções, você como consumidor se sente apto e sabe como escolher a proteína certa para atender às suas necessidades?

Como uma empresa profissional no ramo de suplementos, nós da Purus Labs recomendamos que você não confie apenas em vendedores ou recomendações de amigos para comprar suplementos. Por favor, seja responsável e consulte os profissionais de saúde antes de adquirir qualquer um de nossos produtos.

Somente os médicos e nutricionistas agirão de maneira ética em prol da sua saúde.  Ao optar por consultar um médico, antes mesmo dele prescrever qualquer dosagem de suplementos alimentares ele te fará passar por três etapas de segurança, as quais envolvem:

  • 1ª a solicitação de exames: os quais serão usados para verificação de problemas de saúde, que podem ser agravados com a ingestão indiscriminada de suplementos;
  • 2ª avaliação dos resultados: Posteriormente, com base nos resultados dos exames eles poderão avaliar o seu condicionamento físico, verificar a sua saúde cardíaca, entender as suas necessidades metabólicas (que são únicas e individuais);
  • 3ª fornecer advertências de uso: Antes de entregar a receita para você os médicos também irão te informar sobre os possíveis efeitos colaterais e consequências provocadas pelo uso excessivo do suplemento prescrito. Todo esse processo garante que a sua saúde seja preservada. Não pule etapas, nem tente aumentar as dosagens por conta própria.

Mas caso você não tenha como arcar com as despesas de um check-up completo no momento, ou até mesmo já passou por uma consulta, mas ainda não se sente seguro, com informações o suficiente acerca dos tipos, riscos e dosagens você pode checar esse post no qual separamos oito dicas para quem quer aprender definitivamente a escolher a proteína em pó certa.

Quem produz a proteína que você quer adquirir?

Esse é um ponto crucial, por isso precisa ser o primeiro da lista. Fique calmo, nós vamos te explicar detalhadamente nos próximos itens da onde vem as proteínas em pó, quem pode usar, porque algumas vezes não funciona e quando tomar para ter os melhores resultados.

Contudo, não adianta saber tudo isso se você decidir economizar e comprar um suplemento de procedência duvidosa! Não estamos dizendo que só a Purus presta, mas é IMPRESCINDÍVEL procurar tudo sobre a marca que produz a proteína que você quer adquirir.

Você pode usar sites de buscas como base, ou até mesmo páginas especializadas em reclamações dos consumidores. Veja como a marca se comporta perante as críticas, se oferece soluções para os clientes insatisfeitos, e principalmente se conta com uma política justa de devolução. Afinal, ninguém é obrigado a gostar de um produto, muito menos deve consumi-lo até o final se os resultados não estão sendo satisfatórios.

É notável que os suplementos importados, principalmente os vindos dos EUA, que é líder mundial no segmento, possuem preços elevados devido a variação do dólar no Brasil.  Contudo, somente o preço não é um fator determinante de qualidade. Sempre leia atentamente a descrição do rótulo, em especial a parte que informa sobre o conteúdo da embalagem.

Aprenda as diferenças entre os 3 tipos de proteínas

Uma das primeiras informações que encontramos são descrições sobre a forma pela qual o produto se apresenta, que pode ser hidrolisada ou não, nas versões isolada ou concentrada, mas afinal o que é significa?

Adaptamos uma tabela elaborada pela redação do blog Dicas de Treino para ilustrar os 3 tipos de proteínas e as principais diferenças entre eles:

Proteína Concentrada Proteína Isolada Proteína Hidrolisada
Filtragem mínima, preserva a qualidade da proteína. Filtragem avançada, garante mais pureza que a versão concentrada. Filtragem complexa, garantindo a pureza absoluta.
Possui proteínas, carboidratos e gorduras. Não apresenta carboidratos e tem um alto nível de proteínas. Possui um alto nível de proteínas e carboidratos.
Apresenta uma absorção mais lenta, porém ainda é mais eficaz que outras versões desse macronutriente Apresenta uma velocidade maior de absorção quando comparado a versão concentrada É rapidamente absorvido
Apresenta lactose Predominantemente não apresenta carboidratos, mas é importante que você sempre verifique sobre a porcentagem de lactose no rótulo. Pode apresentar traços de lactose.
Teor de proteína de 25 a 89%. Teor de proteína 90% ou mais. Teor de proteína +99%

Como você pôde observar na tabela, os tipos de proteína em pó são diferenciados pelos processos de filtragem que são submetidos, os quais resultam em teores de proteínas distintos, bem como diferentes formas de absorção.

Tanto a proteína isolada quanto a concentrada podem passar pelo processo de hidrólise dos aminoácidos, trata-se da fervura prolongada em ácido que fragmenta-os em pequenos peptídeos, (simulando a mesma metabolização feita pelo pâncreas), por isso costuma-se dizer que esta é uma versão parcialmente digerida da proteína.

Esse processo atua proporcionando velocidade máxima na absorção, além de promover um paladar atraente e a redução relevante de efeitos colaterais tornando-a superior às outras versões no que tange a promoção da hipertrofia muscular.

Embora os carboidratos presentes em versões hidrolisadas sejam importantes para a recuperação muscular, pois atuam auxiliando na reposição do glicogênio, é preciso estar atento as quantidades apresentadas nos produtos isolados.

Para pacientes diabéticos, por exemplo este teor pode trazer sérios riscos à saúde. Pessoas com essa doença devem procurar por médicos antes de ingerir esse ou qualquer outro suplemento. E mesmo quando a ingestão for autorizada, três dicas valiosas precisam ser seguidas:

  • escolha: sempre dê preferência às versões de proteína em pó isolada, que não apresentam lactose;
  • desconfie: nunca confie cegamente nos fabricantes, pois nem sempre as proteínas podem ser 100% isoladas;
  • teste: para confirmar a pureza proteica e verificar se não estar sendo enganado, é importante que você meça o índice glicêmico antes e depois de cada dose. Só assim você poderá confirmar a completa ausência de lactose (o açúcar do leite).

Mas independente de ter alguma doença conhecida ou não, voltamos a ressaltar que o tipo que você vai ingerir dependerá do seu objetivo, para alcançá-lo de forma mais eficaz é preciso determinar:

  • a idade, pois o corpo irá precisar de diferentes dosagens de proteína conforme a fase da vida;
  • o tipo de atividade física praticada, por exemplo, musculação, CrossFit, treinamento funcional exigem a ingestão de maiores quantidades de proteínas do que corridas, que demandam por uma maior ingestão de carboidratos;
  • as alergias ou restrições alimentares, tais como sensibilidade ao leite ou intolerância lactose, que podem ser agravadas com a ingestão do soro de leite;
  • o histórico de doenças familiares;
  • o atual condicionamento físico, pacientes em quadros de obesidade mórbida devem evitar a ingestão de proteínas em pó no começo do processo de emagrecimento, pois o excesso de proteínas pode atrasá-lo.

       Da onde vem a proteína em pó e como ela age no organismo?

As proteínas em pó são um subproduto obtido durante produção do queijo, mais especificamente a partir do soro do leite, do qual se extraem as proteínas. O principal nutriente extraído nesse processo de produção é a caseína, que graças a cadeia de aminoácidos essenciais nela contidos possui um alto valor biológico e nutricional. Esses pontos positivos permitem uma absorção rápida pelo organismo, que age liberando uma grande fonte de energia para os músculos capaz de cicatrizá-los rapidamente.

Ou seja, de forma resumida, podemos dizer que a proteína atua fornecendo uma fonte limpa de proteínas, livre de hormônios e antibióticos, que são comumente encontrados em outras fontes de origem animais. Logo, além de aumentar a massa muscular ele não intoxica o seu organismo. Para um maior aprofundamento no tema recomendamos a leitura dos artigos:

4 – Cada marca pode produzir proteínas com sabores diferentes

Como se trata de um derivado do leite todas as marcas que decidirem vender o suplemento no Brasil podem fazê-lo com o nome de Whey Protein. Assim como refrigerantes, leites ou qualquer outro produto encontrado no mercado que possuem o mesmo nome, mas que tem sabores bem diferentes.

No entanto, não é só porque vem do queijo que seu whey precisa ter gosto de leite coalho! Muitas marcas erram na hora de elaborar o sabor, algumas delas tentam disfarçar enchendo de corantes e aromatizantes, originando sabores bizarros de “morango” que lembram suco em pó misturados com leite coalhado.

É preciso estar atento também aos valores calóricos, é claro que a ideia de tomar um suplemento napolitano ou cookies pode ser muito mais atraente do que um produto com sabor neutro, porém os valores calóricos são alterados conforme a composição, alguns suplementos podem conter até mesmo açúcar e gorduras saturadas para tornar o whey mais atraente.

Para ficar longe dessessuper adoçados ou com ingredientes surpresa é importante que você leia sempre os rótulos. Se você procura por uma proteína em pó saborosa, saiba que um dos diferenciais mais fortes da Purus é o sabor dos nossos suplementos, que sempre surpreendem os clientes.

A textura dos produtos da linha de proteína em pó da Purus Labs é inigualável, semelhante a de um sorvete cremoso, e tudo isso livre de açúcares e gorduras indesejadas.


Warning: Illegal string offset 'cookies' in /var/www/vhosts/goodfoodns.com.br/httpdocs/wp-includes/comment-template.php on line 2294

Leave your comment

<

Shopping cart